Segurança: Malware Copycat infectou 395 mil dispositivos Android no Brasil

O vírus mobile CopyCat já infectou mundialmente 14 milhões de dispositivos Android (na versão 5 e anteriores) e causou rooting em 8 milhões deles, ou 54%, dos quais 395 mil no Brasil. De acordo com a empresa de segurança digital Check Point, os hackers ganharam US$ 1,5 milhão em receitas com o malware baseado em anúncios publicitários fraudulentos nos últimos dois meses.

A fraude atingiu em sua maioria usuários da Ásia (55%), em especial na Índia, onde 3,9 milhões de smartphones foram infectados. O número de vítimas também é alto na África (18%) e nas Américas (12%), porém, baixos na Europa (7%). O pico dos ataques foi entre abril e maio.

Como funciona

A fraude pode chegar nos dispositivos por campanha de phishing ou instalação de apps de lojas não-oficiais. O CopyCat usa seis brechas em sistemas operacionais desatualizados para se inserir. Com o aparelho infectado, o malware passa a funcionar após a próxima reinicialização do smartphone ou tablet. A partir daí, ele coleta dados do celular e instala os kits de root para baixar apps fraudulentos, injetar código no Zygote (processo usado para instalação de todos os apps do Android) para monitorar instalação e aberturas de aplicativos e substituir a identidade do usuário por uma falsa. Com a substituição da identidade, o hacker pode mostrar publicidade (com fraude ou não) e instalar apps fraudulentos com intuito de ganho de receita.

Outros resultados

Pelo menos 3,8 milhões de dispositivos foram expostos aos anúncios, 26% dos smartphones e tablets infectados. Para se ter uma ideia, a cada 100 milhões de visualizações, os hackers ganharam US$ 120 mil. Outra função de ataque digital do CopyCat permite roubar crédito de apps instalados na Google Play. Essa ferramenta atingiu 4,4 milhões de aparelhos. Além disso, 4,9 milhões de aplicativos foram instalados de forma fraudulenta.

O Google foi avisado do ataque e tomou providências. No entanto, alguns aparelhos ainda podem estar infectados com o malware CopyCat. Para evitar tornar-se vítima da fraude, os usuários devem ter proteção – antivírus ou antimalware – instalada em seus tablets ou smartphones, desconfiar de promoções oriundas de terceiros e evitar baixar apps fora das lojas oficiais de aplicativos.


Source: http://www.mobiletime.com.br/rss.rss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *