Smartphones: Smartphone do fundador da Oakley será modular

O fundador da Oakley e da RED Digital Cinema, James Jannard, chamou a atenção da indústria móvel na semana passada ao anunciar o desenvolvimento de um smartphone para captura e exibição de conteúdo holográfico (ou 4D), o Hydrogen One, com lançamento previsto para o primeiro trimestre de 2018 e pré-vendas abertas desde já, com preços a partir de US$ 1.195. A notícia gerou bastante discussão, talvez mais ainda pelo fato de Jannard não fornecer maiores detalhes sobre a sua tecnologia, que, segundo ele, seria mais avançada que a das telas lenticulares, e também dispensaria óculos ou qualquer outro acessório para visualização. Apenas uma imagem parcial do protótipo foi revelada, no site da RED.

Agora, outras informações começam a vir à tona. Jannard deu entrada em um pedido de patente nos EUA para uma câmera digital modular com capacidade de telefonia móvel. Tudo indica se referir ao projeto do Hydrogen One, embora este nome não apareça no documento. A novidade é que o produto imaginado por Jannard é completamente modular. O usuário poderá adicionar ou retirar módulos conforme preferir, e na ordem que quiser. O produto é composto por um módulo básico, com uma tela sensível ao toque de um lado, e uma câmera do outro. Novas câmeras, com sensores de imagem mais potentes, podem ser acopladas por cima. Aliás, o o módulo da câmera extra também permite acoplar outras lentes. A ideia é que possa virar tanto uma câmera fotográfica profissional quanto uma câmera de cinema, para gravação de vídeo – incluindo até mesmo suporte para o ombro.

Também estão previstos módulos de bateria adicional e de projeção. Os módulos se conectam por meio de ímãs. A tecnologia de holografia, contudo, não está descrita nesse documento. Pode ser que esteja relacionada ao módulo do projetor e descrita melhor em algum outro pedido de patente.

Análise

Olhando as imagens contidas no pedido de patente, o produto parece muito mais uma câmera fotográfica profissional do que um smartphone. Talvez a proposta de modularidade vise justamente possibilitar a montagem tanto de versões mais simples, para mera visualização de conteúdo holográfico e funcionamento como smartphone, quanto versões mais complexas, cheias de módulos, para servir como câmera de cinema profissional. É cedo ainda para fazer uma avaliação mias criteriosa. Por um lado, Jannard goza de credibilidade na indústria cinematográfica, que foi revolucionada com suas câmeras 4K de baixo custo, alguns anos atrás. Para a indústria móvel, por outro lado, ele é visto como um aventureiro. Resta aguardar por mais informações.


Source: http://www.mobiletime.com.br/rss.rss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *